domingo, 23 de dezembro de 2012

A Diversidade Sociocultural Brasileira e seus Preconceitos

A sociedade brasileira é repleta de preconceitos e discriminações que cria espaços de segregação (separação) de grupos que são diferentes em atitudes, orientações sexuais e comportamentos sociais, seja na Escola, no Trabalho, no dia-a-dia, etc., sendo que é necessário que possamos estabelecer reflexões a respeito do reconhecimento do "Outro" como um indivíduo que obtém direitos e deveres como qualquer outra pessoa, independente de sua orientação sexual ou partidária, apenas para dar alguns exemplos. A diversidade de um povo está realmente em seu pluralismo: sociocultural, religioso, étnico-racial, sexual e comportamental. A Escola é um aparelho ideológico que reproduz o preconceito e a discriminação ao "diferente", e o processo de elaboração de novas formas de exercitar o pensamento é justamente discutir causas, consequências e atitudes que modifiquem aquela realidade de segregação, quer seja religiosa, sexual ou sociorracial. Os olhares devem partir de perguntas rotineiras como "O que é ser diferente", ou diria, "Ser diferente é um direito?". Será que eu irei conseguir respeitar alguém estando alienado em meu preconceito? A diversidade tem uma classificação, realmente, ampla, isto é, em seu contexto cultural, social, sexual, étnico, de cor da pele, etc, desse modo, a tal diversidade se mostra em todas as suas faces. Os preconceitos e discriminações, que são conceitos diferentes, compõem fatos sociais que, em última instância, devem ser trabalhados em sala de aula para que sejam discutidos e problematizados, com o intuito de gerar novos conhecimentos e visões de mundo em sociedade. Logo, compreender o diferente é uma tarefa complexa. O desafio de 'descobrir' como chegar ao 'respeito' entre todos e todas está lançado...
Imagens: do Google e foto no "automático" com as crianças da Comunidade Quilombola de África-Laranjituba, Moju, em evento de Educação em Saúde.

Um comentário:

Luana Santos disse...

Parabéns pelo texto.